Translate

My MTB has DIABETES

Diabetes is something that cycling with me since 19 years ago, I’m 39. The blue O Project regarding the disclosure of diabetes disease associated with the practice of MTB, talking, discussing and to clarifying some aspects, from who has to deal with these two situations simultaneously.

Maratona Alcains - Gardunha


Boas pedaladas,

De manhã acordei com 167 mg/dL, fiz os normais ajustes de insulinas tendo em conta o número de km que iria realizar.
 
 
O sensor do Dexcom G4 “deixou-ma a pé” no Sábado. Ainda não deu para realizar a interpretação durante uma prova de BTT…
A semana mesmo estando quente pelo km 5 já tinha os pés e as rodas, literalmente, enterrados na lama. Como de costume, avanço de trás para a frente, ou melhor, vou controlando, tirando umas fotos para ilustrar.
Pelas drogas que ando a tomar não sucumbi aos “corredores da morte” – sinal vermelho às ALERGIAS!!! O mato estava na sua máxima pujança, haviam alturas que era melhor fechar a boca!!! 
 
Pelas 10h e alguns minutos chego ao 1º abastecimento onde já se assava carne mas não querendo perder muito tempo; não registei a glicémia, comi uma banana, um bolo seco com meio sumo e diluí o VITARGO ELECTROLYTE.
 
A separação dos percursos foi antes do km 40, pelo esforço tomei um GEL VITARGO, tínhamos acabado de subir uma “parede”, altura na qual segui acompanhado com o António Pequito.
 

Ao chegar ao 2º abastecimento acuso 108 mg/dL, comi convenientemente! O António esperou por mim para fizermos o resto juntos, supostamente já eramos os últimos da grande.
 
A dada altura parámos para fazermos uma “reciclagem” de como reparar um furo! Era a 2ª vez que parava, descobrimos o pico do 1º furo no pneu tubless, remendamos a camara de ar, sempre a encher (com bomba e CO2) e por fim comprovando que não resultava, tivemos de trocar a camara de ar, resumindo, bem à vontade mais de 40min parados.
 
Os estradões de terra perto de Tinalhas levaram-nos aos single tracks trabalhados para esta evento, espetaculares a exigirem a perícia das rodas 29 de ambos.
 
Em Caféde já esperavam por nós - os últimos – uma festa vos digo! Subimos a calçada de pedra e entramos em Alcains passava das 15h e ainda nos aplaudiram, eu tinha os meus fans à minha espera e uma hipo a começar…
 
Pedaladas boas,
casf


Território Circuito Centro #4 Sertã



Boas corridas,
Fui à 4ª e ultima etapa do Território Circuito Centro para "cimentar" as provas de Trail Run. Foi a minha 2ª participação em eventos deste género. Como amante de desporto que sou, do bem que me faz e da imagem que trespasso, devo repetir muitas mais, até para me vingar...
Dexcom G4 é qualquer coisa, permite-nos saber a deslocação da nossa glicémia durante a noite anterior ao evento. No Domingo com o leitor de glicémia - continuamos a utilizá-lo, inclusive para a calibração do G4 - confirmei 173 mg/dL. Reduzi a basal e não devia ter reduzido a rápida...
 
Ao chegar à Sertã, confirmei que a saída para quem fazia os 25km era só às 10h, depois de viajarmos de autocarro até à Praia fluvial do Malhadal. Grande parte do percurso, em linha, acompanhava o leito do rio - as partes técnicas exigiam muito respeito - com os pés dentro de água e enterrados na lama desde os primeiros quilómetros.
 
De volta à glicémia, pelo "retardo" na partida dos 25k, a mesma superava os 300 mg/dL... A primeira rampa serviu para separar o grupo, os dos 45k desde as 9h que corriam. Voltei a filmar uma secção técnica, com algum custo confesso, estávamos prestes a separarmo-nos pelas diferenças de ritmos. Em absoluto estas provas "lembram-me" à minha infância e entrada nos Escoteiros, apesar de aqui me sujar muito mais!!!
 
Depois do 1º abastecimento, aí pelo km 7 olhei o Dexcom G4 que registava +/- 250 mg/dL, comi duas porções de papas de milho - quentes é que são boas - uns amendoins salgados com um pouco de coca cola e diluí o VITARGO ELECTROLYTE. As secções técnicas do leito continuavam, num ápice e sem me aperceber molhei aquelas partes da cintura...
 
Numa descida desprovida de técnica torci o tornozelo, por ser leve e estar quente aparentemente não me ressenti, ia perto do km 10 quando comecei a andar, iniciavam as dores. O quadricípite direito não suportava mais de 20 metros a correr, forçando mais a perna cujo tornozelo já estava "marcado"! Simplesmente não conseguia e pelo amadorismo da coisa não valia a pena forçar. Imprimi um ritmo de caminhada, aqui ou ali tentando a corrida sem sucesso.
 
Só em plano conseguia ir direito sendo que qualquer inclinação me desfigurava o físico e foi assim que cheguei ao 2 abastecimento, confrontando o pouco consumo calórico entre o medidor de glicémia e o Dexcom G4, quase fazia jackpot!!! 227 mg/dL e 225 mg/dL respectivamente. Foi mais hidratar e pouco comer, trincava de vez em quando a minha VITARGO ENDURANCE.
Eu e outro atleta fomos "picados" com a informação que o Mota já tinha passado o nosso inicio e uma outra praia fluvial mais à frente, fazia mais de meia hora... Fizemo-nos aos restantes 9km. A máquina fotográfica saiu mais vezes da bolsa, limitei-me a esperar... Fui apanhando, poucos, restantes dos 25km e eis que chega o Luís Mota (uma grande referência nacional no trail run). Ao seu lado ia uma "colega" da prova de VVR - na distância curta - e mesmo com o incentivo de alguns, as dores já se refletiam por ambas as pernas, não me permitiam pouco mais que o andar. 
 
A chegada à Sertã foi pela zona de lazer a fazer inveja a qualquer cidade com rio, 198 mg/dL.
A Organização está de parabéns, mesmo só com duas provas participadas e na distancia pequena, deixaram-me água na boca e agora com a certeza que o bicho está para ficar, venham escadas para treinar que tenho de me vingar!!!
Corridas boas,
casf
 
NOTA - O Dexcom G4 faz leituras pelo fluido intersticial, enquanto qualquer leitor de glicémia, "lê" no sangue, após punção no dedo, cuja precisão é maior.
O Dexcom G4 de 12 em 12h "pede" a calibração pelo leitor de glicémia. Não se deve, de maneira alguma actuar na nossa glicémia perante os valores do Dexcom, eles mesmo o dizem...

 
English

Good runs,
I went to the 4th and final step of "Território Circuito Centro" to "cement" my Trail Run events. It was my 2nd presence in events of this kind. As a sports lover I am, the good it makes me and the image I handing over, I'll repeat many more, and now for revenge...
 
The Dexcom G4 is amazing, it allow us to know blood glucose displacement during event evening and Sunday morning on my blood glucose reader - we continue to use it, including for G4 calibration - I confirmed 173 mg/dL. I reduced basal and shouldn't have reduced the fast.
Arriving at Sertã, I confirmed the start for those who made 25k was only at 10am, after we traveled by bus to Malhadal river beach. Much of the route on line followed the riverbed - some technical parts required very respect - with my feet’s in water and buried in mud from the first kilometers.
Back to glycemia, the "delay" on 25k starting, it exceeded up to 300 mg/dL... The first ramp separated this group, those from 45k they ran from 9am. I record a technical section with some cost I confess, we were about to split up due to different rhythms. These events absolutely "remind me" my childhood and Boy Scouts, but here I get dirty much more!

After 1st supply, at 7k I looked at the Dexcom G4 which recorded +/- 250 mg/dL, I ate two portions of maize porridge - hot it’s really good - some salted peanuts with some Coca-Cola and dilute the VITARGO ELECTROLYTE. The technical sections of the river side, at a glance, and without realizing it I wet those parts waist...
On a simple technical descent I twisted my ankle, because I’m light and I was hot apparently I didn’t resented it, was near the 10K when I started walking, the pains began. The right quadriceps could not stand more than 20 meters runing twisted, forcing much more the leg whose ankle was already marked! From my amateurism on this was not worth forcing. I start a walking pace, trying to run without success.

Only in plan I could go right and any inclination disfigured my physical aspect and like that I got to the 2nd supply, confronting the little calorie consumption between Dexcom G4 meter and blood glucose reader, almost made jackpot! 227 mg/dL and 225 mg/dL respectively. It was more hydrating than eating, I bite occasionally my VITARGO ENDURANCE.
 
I and another athlete were “chopped" with the information that Luís Mota (national reference on Trail Run), had passed our beginning and another river beach, over half an hour... We went to remaining 9km. The camera came out of the bag more often, I limited myself to wait... I was picking up, few remaining 25k athletes and here comes Luis Mota. Beside him was a 'colleague' from #2 VVR - in short distance - and even with the encouragement of some, the pain was already reflected by both legs, did not allow me more than walk.
 

The arrival at Sertã was by recreation area, near the river.

I congratulate the organization, only with two presences on short distance, let me “with water in my mouth” and now with the certainty that I’ll repeat, lets do some stairs to train I have to take my revenge !

Run good,
casf

NOTE - The Dexcom G4 does readings by interstitial fluid, and any reader of glycemia, "reads" the blood after puncturing the finger, whose precision is higher.

The Dexcom G4 each 12h "asks" for calibration from the blood glucose reader. Shouldn’t in any way act in our blood glucose values by reading the Dexcom, they even say...






IV Maratona IFCC - Cebolais - Castelo Branco



Boas pedaladas,
 
Em jejum acusei a festa de anos da noite anterior, 235 mg/dL. Com os 65Km em mente dei 2 unidades de insulina rápida e reduzi a basal. A Organização "Industria Futebol Club Cebolense - IFCC" desde o 1º evento disponibiliza um pequeno-almoço aos participantes, investi numa fatia de bolo caseiro e um café a ferver.


O dia inclinava-se para um Domingo parecido ao ano passado - bastante chuvoso - no entanto, manteve-se "calmo", até com algum sol, tornando-se mais cinzento ao longo da manhã.
 
Algures antes do 1º abastecimento passou por nós, eu e outro rider, uma rena com um porte bastante considerável - comentamos a facilidade com que se deslocava em plena subida - estávamos a iniciar as secções de subidas para este abastecimento, entre o km 15 e 20. Medi 212 mg/dL " diluí o VITARGO ELECTOLYTE, comi uma banana, bebi água e levei duas barras de cereais.
 
Com o ritmo certo "engrenado" iniciei o report fotográfico... Muitas das secções que se seguiram tinham um misto de "single treks" fantásticos - ao lado de ribeiras, entre os pinheiros, xistos - alguns, ao logo de todo o percurso, foram alvo de muito trabalho para serem abertos, daí que em todos os abastecimentos elogiei o percurso no seu geral.
 
 
A glicémia esteve debaixo d'olho, as barras iam sendo consumidas e em determinada altura engoli o GEL VITARGO, senti-me fraco, aproximava-se o último abastecimento. Comi uma sandes de queijo com um pouco de sumo e uma fatia de bolo. Levei outra banana e uma barra de cereais.
 
 
Mantinha um ritmo estável (não fossem tantas as fotos, muitas delas o telemóvel dá-me vontade de o deixar abandonado no campo), no qual as pernas reagiram bem, mas esta ultima secção é a chamada de "rompe pernas", altos e baixos, alguns ao estilo XCO - curtos e inclinados - para pernas bem treinadas!!! A Organização voltou a mostrar um excelente trabalho nos trilhos abertos para esse propósito. No final 186 mg/dL.
 
 
Uma prova com bastante caracter em que os anfitriões sabem receber, com banhos quentes e comida a condizer, mais, com direito a senha em que o 1º prémio dava direito a uma bicicleta lavada, nova, com valor superior a 2000€. Acho que assim nunca vi!!!
 
Pedaladas boas,
casf

English

Good cycling,

At fasting I accused last night birthday party, 235 mg/dL. With 65K in mind I given 2 fast insulin units and reduce the basal. The Organization "Industría Futebol Club Cebolense - IFCC" from the 1st event they served a breakfast for every participants, I invest in a slice of homemade cake and a boil coffee.


The day was leaning to a very rainy Sunday - like last year - however, it remained "calm", even some sunshine, becoming greyer throughout the morning.

Sometime before 1st supply passed us, me and another rider, a reindeer with a fairly sizable - we commented the simplicity with which moved into full climb - we were starting sections of climbs for this supply, between 15K and 20K. I measure 212 mg/dL, I dilute the VITARGO ELECTROLYTE, ate a banana, drank water and took two cereal bars with me.


With the right rhythm "geared" I started the photographic report... Many of followed sections had a mix of amazing single treks - on the side of the brooks, among the pines trees, shale’s - some, along the entire route, were open with a lot of work, so on all supplies I praised all the route.


The blood glucose was under control, my cereal bars were being consumed and at some point I swallowed my VITARGO GEL, I felt weak, approaching the last supply. Ate a cheese sandwich with a bit of juice and a slice of cake. It took another banana and another careal bar. 



I kept a steady pace (if weren't so many photos, in many, the phone performance makes me want to leave it abandoned in the field), in which the legs responded well, but this last section is called "breaks legs", ups and downs, kind off XCO style - short and inclined - for well-trained legs!!! The organization showed again a great job in the open treks for this purpose. I finished with 186 mg/dL.

 
An event with enough character where the hosts know how to receive, with hot showers and a matched lunch, more, with the right to receive a ticket with 1st award was a new and washed bike with over €2000 value. Like that I think I never saw this!

Cycling good,
casf

VI Rota do Azeite - Proença-a-Velha


Boas pedaladas,


Em jejum com 92mg/dL, sem dar insulina rápida, reduzi a basal e tomei um pequeno-almoço rico em HC de acção lenta - flocos de cereais integrais - acompanhados de leite. Precavido, no bolso levei uma barra de cereais e uma banana - convencido que os teria de comer antes do 1º abastecimento...
 
 
Pelo menos 150 betetistas, alguns deles acompanhados da família, aproveitaram para vir às suas origens e assim dinamizarem o 12º Festival do Azeite e Fumeiro. No Domingo pelas 9h a VI Rota do Azeite saí às ruas...
 

Este evento serviu para verificar a forma em que me encontro. As mãos ressentiram-se do terreno!!! Nos primeiros 10/15km tentei encontrar o ritmo certo (os meus treinos têm variado entre corrida, trail run e o ciclismo). Comi a barra de cereais primeiro, perto do km 20 a banana quando me lembrei-me “então e as fotos!?”. 

No único abastecimento, situado a meio caminho, na Aldeia de João Pires - neste preciso local nunca tinha parado - encontrámos o típico abastecimento com a qualidade ACIN, umas bicas de azeite mistas e não só, madalenas, borrachões, sumos, cola, água, frutas, barras... Como tinha 289mg/dL, diluí o VITARGO ELECTROLITE, comi uma bica mista, 1/4 de laranja e água. 
 
 
Os “single traks” são carismáticas neste evento, alguma lama, passagens de ribeiras, as maiores tinham obras da ACIN - pontes de madeira construídas propositadamente - furos e algumas quedas de alguns riders fazem parte de qualquer evento deste género. Na Raia os "Teams" espanhóis aparecem em força. As aldeias visitadas foram Bemposta, Aldeia de João Pires e Medelim.


Estava em teste e com o resgisto da glicémia “apertei” o andamento também para confirmar o desempenho, e tirar mais umas fotos e ajuda nos furos - desta vez, de outros. Pelo km 35 tomei um GEL Vitargo para os restantes kilometros. Posso afirmar que me saí bem, os treinos tornaram-se eficientes e pude comprovar. A glicémia registada antes do VITARGO PROTEIN marcava 183mg/dL. 

Esta VI Rota do Azeite - que me lembre - foi a maior, a mais técnica, mais "dura", enfim a que mais gostei, até o tempo esteve de feição, sem chuva! 
Resumo:
Distância: 49.26 km
Tempo em movimento: 3:24:26m
Calorias: 1624

English

Good cycling,

At fast with 92 mg/dL, I hadn't fast insulin, reduced the basal and took my breakfast rich in slow acting HC - whole flakes grains with milk. Cautious in my pocket I took a cereal bar and a banana - convinced that I would eat them, before 1st supply...
 
At least 150 riders, some of them accompanied with the family, come to their origins to enjoy and thus streamline the 12th Olive Oil and Meats Festival. On Sunday at 9a.m. the VI Olive Oil Route left off the streets... 
 
 
 
 
On this event I verify my athlete performance, for the begging of the year. My hands resented from the ground!!! In the first 10/15km I tried to find the right pace (my workouts have been between race, trail run and cycling). Ate the cereal bar first and near the 20km the banana, and remembered "what about the photos?".
 
On the single supply zone, midway, in the "Village of João Pires" - on this spot I had never stopped - we found the typical quality ACIN supply, some olive oil bread mixed with cheese and FIAMBRE and more, muffins, "borrachões" cakes, juices, cola, water, fruit, bars... I had 289 mg/dL, so I dilute the VITARGO ELECTROLITE, ate an olive oil bread mixed, 1/4 orange and drink water.
 
The single tracks are charismatic in this event, some mud, creeks crossings, the bigger had the ACIN works - wooden bridges built purposely - flat tires and some rider’s falls, all this happens on any event of this kind. At Raia - frontier zone - the MTB Spanish teams appear in force. The villages visited were Bemposta, Aldeia de João Pires and Medelin.



I was in test, by the blood glucose value I "pushed" the pace also to confirm the performance, taking pictures, help on others flat tires. At km 35 I took a Vitargo GEL for the remaining miles. I can say that I did well, workouts become efficient I could prove it. The registered glycemia before VITARGO PROTEIN marked 183 mg/dL.
This VI Rota do Azeite, from I remember, it was the largest, most technical, harder, and more liked, even the weather was fine, no rain!
Summary:
Distance: 49.26 km
Moving time: 3:24:26 m
Calories: 1624


Território Circuito Centro - 2ª etapa - Vila Velha de Rodão


 


Boas corridas,

A semana foi fértil em chuva, mas o fim de semana, em particular, seria alvo da tempestade “Stephanie”!
Ao pequeno-almoço confirmo a hipo (53 mg/dL), não dou rápida e reduzo a basal… A minha apreensão em fazer os 25km era grande, nunca tinha feito esta distância, pelo menos que me lembre, talvez aquando escoteiro (AEP 67)...

Na direcção para Viva Velha de Rodão o céu manteve-se cinzento mas sem chuva, apesar das ameaças. Caído de “para-quedas” numa prova de trail run, reconheci caras do BTT, do atletismo e do Face! Troquei algumas palavras, depois do controlo zero (obrigatório levar: manta de sobrevivência, reserva de água, apito, copo e telemóvel), ouvimos os conselhos da Organização e fomos.

Segui o conselho do Sérgio Moreira (blue O Rider especialista nesta modalidade), “de trás para a frente”, arranquei “relaxado”, sobretudo a observar… Ia numa óptica de experimentar, levando tudo muito adaptado: a mochila do BTT, que não uso, as sapatilhas de trail com a sola gasta em asfalto, o GPS das CANYON's e o atleta, com treinos curtos, a interiorizar a distância. Sorte tivemos todos, eu, só vesti o impermeável 10 a 15min, durante a manhã até o sol apareceu!!! 

Pela inexperiência, na realidade, pelas subidas acentuadas, distanciei-me claramente do grupo inicial - dos habitues - em confissão digo, dos bem preparados... As reações eram boas, não tendo colocado insulina rápida a glicémia, estava propícia para ser queimada! Estiquei-a até ao miradouro do Castelo do Rei Bamba,  - numa vista fantastica para as Portas de Rodão - e continuei até Vilas Ruivas. As transições técnicas eram do meu agrado, longe vão os tempos de escoteiro!!! 

Antes do 1º controlo fiz prova, com video, da descida mais técnica dos 25km, a liderar ia a "madrinha" dos trails, Analise, uma Srª com bem mais de 65 anos, que tinha como objectivo os 45km, com ela os conselhos e as dicas eram uma constante! Em Vilas Ruivas, 1º controlo e abastecimento, 290 mg/dL!!! Diluí o VITARGO, uns amendoins salgados, batatas fritas, meia cola e uma banana.

Foto: André Sanano
Até ao Penedo Gordo foi praticamente sempre em ascensão, aí bebíamos um recuperador de musculação, pelo vento que soprava, agradecia-se um gorro e vestíamos uma camisola de lã (não vesti porque não tinha)!

Para o Tostão foi sempre a descer até ao 3º controlo e abastecimento - 174mg/dL - os locais presentearam-nos com um caldo verde quentinho e um repasto tão bom como o 1º. Destes assim, é volta na certa... Já com algumas dores, foi reconfortante ouvir as palmas e a frase que todos repetem: "vá que já só faltam 8km"!!!
Quem chega ao fim de algo, não tendo, à partida, a certeza de conseguir terminar, fica-se feliz! A repetir com certeza...
 
Caminhadas boas,
casf
Rescaldo: após 25km, #42 (66) com 3:37:57h


English




Good runs,
 
The week has been rich in rain but the weekend, in particular, would be target of "Stephanie" storm!
 
At fast I confirm the hypo (53mg/dL), I didn't give fast insulin and I reduce the basal... I had a great concern doing the 25km, I had never done this distance, at least that I remember, maybe when was a Boy Scout (AEP 67)...


To Viva Velha de Rodão the sky remained gray without rain, despite the threats. "Fallen in parachute" on a trail run event, I recognize MTB, run and Facebook faces! I exchanged a few words, after zero control (required bring to: survival blanket, water reserve, whistle, cup and cell phone), listen to the Organization advices and we went.
 
I followed the advice of Sérgio Moreira (blue O Rider specialist in this model), "from back to front", I ripped on a "relax" mode, especially watching around... In a experience standpoint, I adapted everything: MTB backpack, which I not use, trail sneakers with worn out soles on asphalt, CANYON bike's GPS, the athlete, with short workouts, concerned about the distance. We all had lucky, I only wear waterproof 10 to 15 minutes during the morning, until the sun came up!
  

My inexperience, in reality, the sharp increases, early forced me to distance from the original group - the regulars - I must confess, the well prepared... The reactions were good, lacking the fast insulin, my glycemia was ripe to be burned! I stretched it to Bamba King Gazebo overlooking to "Portas de Rodão", continued until Vilas Ruivas. I liked very much the technical transitions, far way are the Boy Scout days! 

Before the 1st control, I testimony with video, the main technical descent from the 25km, leading by Mrs. Analise, the "godmother" trail events, with over 65 years old - she went to the 45km - with her, advices and tips are a constant! In Vilas Ruivas, 1st control and supply, 290 mg/dL! I dilute the VITARGO, some salted peanuts, crisps, half a cola and a banana.
 
To Penedo Gordo was almost rising up, there we drank a muscular recover drink. From the blowing wind, we'll appreciate it a bonnet and a wool sweater (I didn’t' wear because I did haven’t one)!
 
To Tostão was always down to the 3rd control and supply - 174mg/dL - the locals presented us with a warm "caldo verde" (a typical Portuguese soup) and the rest of it, as good as the 1st. Like these, we came back for sure... Already with some pain, was reassuring to hear the clapping and the phrase that all repeat: "go on, missing now only 8km"!

 
Who arrives at the end of something, but, without having sure he could finish, is happy! Certainly to repeat...
 
Good walks,
casf